Barroso Notícias  ver
 

 Hábitos que o Padre Fontes não dispensa - YouTube -  15/2/2016

 Açores levaram a Ourense a gastronomia dos namorados -  14/2/2016

 Descobertos frescos na igreja de Soutelinho da raia -  10/4/2014

 XXVI natal de cantadores e concertinas -  11/12/2013

 CEIA DAS BRUXAS ENCANTADAS HOTEL RURAL Sª DOS REMÉDIOS -  12/11/2008

 
Destaques  ver
 

 

 29 - NATAL DE CANTADORES AO DESAFIO FOI EM VIDAGO

  em S. Pedro de agostém Chaves o 28 natal de cantadores e concertinas no concelho e Chaves O 30 podera ser em Mondim d

 

 SERÃO EM CHAVES

 A lenda Maria Mantela, foi representada pelo TEF em Chaves, dia 6 de dezembro.

 

 VEJA A NOSSA TERRA DESDE 1972/2005

 Notícias de Barroso do Padre Fontes está online.

 

 'SEXTA 13' / NOITE DAS BRUXAS

 Em Fevereiro inicia-se a primeira de três 'Sexta 13' agendadas para 2015. O maior espetáculo de rua realizado em Portuga

 

 VILAR DE PEERDIZES COM TURISMO RURAL

 Visite esta aldeia histórica.

 

 FONTES DA MIJARETA TURISMO RURAL ABRIU

 A VILA DE MONTALEGRE,ESTÁ A SER ENRIQUECIDA COM A ABERTURA AO PUBLICO E AO TURISMO COM UM DOS ESPACOS MAIS SEDUTORES QU

 

 ESPAÇO PADRE FONTES

 Inaugurado a 9 de Junho,o Núcleo-sede do Ecomuseu de Barroso "Espaço Padre Fontes" foi uma decisão da Câmara de Montal

Barroso Notícia

QUEM É O PADRE FONTES - 31/1/2006


PERGUNTAS E CURIOSIDADES


QUEM SOU, COMO SOU, PORQUE SOU

Ninguém é igual a ninguém.

Na minha vida de cidadão e de padre sempre procurei aprender a ser igual a mim mesmo, abrindo-me à luz, venha ela donde vier, de dentro e de fora da igreja.

Com o decorrer de anos e da minha acção interventiva o povo estimulou-me, cada dia mais, marcando-me o rumo a seguir no bem da cultura regional.

O 1º Congresso de medicina popular nasce da necessidade de registar, dar a conhecer, usar a medicina caseira, tradicional ainda muito válida apesar da chegada em 1975 do serviço nacional de Saúde ao País e às minhas paróquias.

Revelou-se Vilar de Perdizes e o seus congressos desde 1983 até hoje, como ponto de encontro de culturas, credos, medicinas, religiões, saberes, uma feira original popular e erudita, um espaço para questionar métodos e crenças, novidades e antiguidades, uma ocasião para conhecer o país real, profundo, oculto, esquecido, marginalizado.

Travar a desertificação, incentivar actos culturais, inverter o fluxo turístico, promover a região Transmontana e a sua cultura, paisagem, gastronomia, dar às escolas um pretexto de investigação, à imprensa uma mão cheia de valores e novidades, fazer sair o povo à rua, ao teatro da saúde, à procura de melhor, eis alguns dos motivos que puxam pela carroça deste Congresso MP há 22 anos e o impuseram ao país e lhe tem dado pernas para andar.

A junção do sagrado e do profano protagonizado por um padre deu mais valia e chamariz ao Congresso.

Foi como que a arte de sacralizar o profano, e profanar o sagrado Avivar a cultura morta – a medicina popular e por no devido lugar a que surgia , dita científica, orgulhosa que não queria a sobrevivência da mãe a medicina Natural.

Daí alguma incompreensão e receio tanto da hierarquia católica como da classe médica.

Com o tempo tudo se foi diluindo e aproximando.

As SEITAS que vão surgindo ,nascem da necessidade do sagrado, que a igreja católica por vezes restringe, fecha, dificulta e não dá, nem vende.

Nascem também da carência duma religiosidade mais palpável, sensível, menos espiritualista, mais virada para os problemas humanos e menos para os ritos dominicais monocórdicos.

As VISÕES onde muitos fenómenos assentam, não passam de alucinações, mais ou menos infantis, associados a um fanatismo religioso e desconhecimento da religião e da psicologia humana, que geram um movimento inconsciente de massas e que pode arrastar a tolerância ou incapacidade de intervenção das autoridades religiosas e outras.

Nascido do povo, uso a linguagem mais acessível e falada do povo para o fazer chegar ao divino e sentir o sagrado da fé num Deus mais humano que divino, mais activo dentro de cada pessoa que nas igrejas e santuários.

Tenho duas paixões grandes: a terra que me viu nascer e dá sentido à vida : Eu e o Barroso somos um só. Deus que me dá tempo e prazer de estar sempre de porta aberta a quem veja e espere de mim algo.

Daí o apreço pela cultura Barrosã, estimulada e vivida, virada para quem nos visita.

Criei um espaço de turismo rural em Mourilhe, onde ninguém passava, ninguém apostava, para acolher quem quer descobrir este paraíso terreal, distante e desconhecido,

hoje mais visitado pelos do Norte que do Sul, pelos nacionais que pelos estrangeiros.

Aqui encontra o turista um reino maravilhoso, de altitude, onde impera a água, a verdura variada das 4 estações do ano, o silêncio da natureza e das aldeias de dia e de noite, a paisagem e ar e céu limpo, leve. carregado de belas estrelas celestes e terrenas.

É uma gente acolhedora de coração e porta aberta. As manadas de vacas passam à porta do hotel rural, mansas, lentas, meigas, carinhosas. Um jardineiro para cada lameiro, regado por linhas cristalinas de água corrente todo o ano. Acresce a tudo isto, se fora pouco, no dia a dia da casa e do hotel uma gastronomia biológica, de sabores ímpares, e muito mais.

Venha ver para crer

 

«-voltar